set 28 2016

Credeq fala sobre suicídio à TV Assembleia

(acesse o link https://youtu.be/u-scQKSQQcQ e assista a entrevista, no programa Você Mais Saudável, que trata, de maneira ampla, sobre o suicídio)

O suicídio é uma morte anunciada e desnecessária, pois as chances de ter sido prevenida são grandes. O assunto, entretanto, tem padecido de informações, o que gera mitos, preconceitos e muitas mortes. No mundo, cerca de 800 mil, anualmente. No Brasil, em torno de 13 mil.entrevista-a-tv-alego

Aliás, é a terceira causa de morte no país. Os jovens, entre 15 e 29 anos são os mais afetados. Um quarto das mortes acontece entre os dependentes químicos e 95% dos suicidas eram portadores de algum transtorno psiquiátrico.

Respaldado neste cenário, o psiquiatra Tiago Oliveira, que é o diretor técnico do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq), em Aparecida de Goiânia, concedeu uma entrevista a uma equipe da TV Assembleia de Goiás, cujo o programa foi ao ar na noite de segunda-feira, 26 de setembro.

De acordo com o psiquiatra Tiago Oliveira, a campanha Setembro Amarelo, formulada pela ONU e trazida para o Brasil pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Na perspectiva da prevenção, é significativo combater os mitos que existem em relação ao suicídio.

 

Mitos Verdades
O suicídio é uma decisão individual, já que cada um tem pleno direito a exercitar o seu livre arbítrio. FALSO. Os suicidas estão vivenciando quase invariavelmente por uma doença mental que altera, de forma radical, a sua percepção da realidade e interfere em seu livre arbítrio. O tratamento eficaz da doença mental é o pilar mais importante da prevenção do suicídio. Após o tratamento da doença mental o desejo de se matar desaparece.
Quando uma pessoa pensa em se suicidar terá risco de suicídio para o resto da vida. FALSO. O risco de suicídio pode ser eficazmente tratado e, após isso, a pessoa não estará mais em risco.
As pessoas que ameaçam se matar não farão isso, querem apenas chamar a atenção. FALSO. A maioria dos suicidas fala ou dá sinais sobre suas ideias de morte. Boa parte dos suicidas expressou, em dias, ou semanas, anteriores, frequentemente aos profissionais de saúde, seu desejo de se matar.
Se uma pessoa que se sentia deprimida e pensava em suicidar-se, em um momento seguinte passa a se sentir melhor, normalmente significa que o problema já passou. FALSO. Caso alguém que pensava em suicidar- se e, de repente, parece tranquilo, aliviado, não significa que o problema tenha superado. Uma pessoa que decidiu suicidar-se pode sentir-se “melhor” ou sentir-se aliviado simplesmente por ter tomado a decisão de se matar.
Quando um indivíduo mostra sinais de melhora, ou sobrevive à uma tentativa de suicídio, está fora de perigo. FALSO. Um dos períodos mais perigosos é quando se está melhorando da crise que motivou a tentativa, ou quando a pessoa ainda está no hospital, na sequência de uma tentativa. A semana que se segue à alta do hospital é um período durante o qual a pessoa está particularmente fragilizada. Como um preditor do comportamento futuro é o comportamento passado, a pessoa suicida muitas vezes continua em alto risco.
Não devemos falar sobre suicídio, pois isso pode aumentar o risco. FALSO. Falar sobre suicídio não aumenta o risco. Muito pelo contrário, falar com alguém sobre o assunto pode aliviar a angústia e a tensão que esses pensamentos trazem.
É proibido que a mídia aborde o tema suicídio. FALSO. A mídia tem obrigação social de tratar desse importante assunto de saúde pública e abordar esse tema de forma adequada. Isto não aumenta o risco de uma pessoa se matar; ao contrário, é fundamental dar informações à população sobre o problema, onde buscar ajuda etc.

Fonte: Conselho Federal de Medicina, 2014.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/credeq-fala-sobre-suicidio-a-tv-assembleia/

set 27 2016

Discuta sobre suicídio

[Este material é um artigo assinado pelo diretor técnico do Credeq – Prof. Jamil Issy, psiquiatra Tiago Oliveira, que foi publicado na edição do dia 27 de setembro de 2016, no jornal O Popular, em sua página 3, no primeiro caderno]

 

É importante falar sobre suicídio e desenvolver ações que permitam reduzir as taxas de óbitos, mediante a efetivação de uma rede que apoie, identifique e ofereça assistência às pessoas com comportamento suicida. O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Aliás, setembro é utilizado para alertar sobre o suicídio.

tiago-oliveira-foto-saba

E como prevenção é significativo combater os mitos que existem em relação ao suicídio. Entre as fantasias está, por exemplo, que o silêncio da mídia contribui no combate ao autoextermínio. Falso. A mídia, quando aborda de modo adequado o suicídio, tem papel fundamental na prevenção a esta tragédia. Ninguém se suicida por que o assunto foi discutido. É preciso promover ações de conscientização sobre o tema, antes que a tragédia seja consumada.

O suicídio é a segunda causa de morte em jovens entre 15 a 29 anos. Mata mais do que Aids. No Brasil, são quase 12 mil suicídios anuais. Estima-se que outras seis pessoas do círculo próximo da vítima sejam afetadas permanentemente pela tragédia. Para ajudar a enfrentar essa difícil realidade, a ONU organiza, todos os anos, a campanha Setembro Amarelo, com foco na prevenção ao suicídio.

A presença de um transtorno psiquiátrico, como depressão, transtorno bipolar, alcoolismo, abuso/dependência de outras drogas, transtornos de personalidade e esquizofrenia, e a tentativa de suicídio anterior são os principais fatores de risco para a morte por suicídio. Metade dos suicídios é precedida por uma tentativa prévia. O suicídio é, também, um problema complexo, com diversos fatores biológicos, psicológicos e sociais atuando de maneira positiva (fatores de proteção) ou negativa (fatores de risco) na prevenção deste desastre. Por isso, não é correto atribuir um fato isolado, como perda do emprego ou desilusão amorosa, como a  “causa” do suicídio.

 

 

 

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/discuta-sobre-suicidio/

set 27 2016

Psicólogo do Credeq ministra palestra

O psicólogo Marcus Túlio Klein, supervisor Multiprofissional do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq), em Aparecida de Goiânia, defende o diálogo entre diversos serviços, com o propósito de viabilizar não apenas o resgate biofísico do dependente químico, como, também, ampliar e fortalecer a sua possibilidade em se coletivizar.

congresso-redentoristas

Essa perspectiva foi tratada durante uma palestra ministrada pelo psicólogo no IV Congresso Redentorista de Prevenção às Drogas, ocorrido entre os dias 22 e 24 de setembro, com o tema “Processo de ressocialização do dependente químico após completar o ciclo de tratamento em uma comunidade terapêutica”.

Muito aplaudido, o psicólogo foi muito requisitado pelo público presente no auditório Dom José Rodrigues, no Setor Samarah, em Trindade, onde ocorreu a sua palestra. O congresso, de acordo com o Marcus Klein, serviu para romper tabus e disseminar informações à sociedade, que carece de conhecimento teórico sobre cenários visíveis e de bastidores da drogadição.

“A dependência química é uma doença e como tal precisa ser tratada. Por outro lado, há serviços, como emprego e moradia, por exemplo, que precisam aportar o processo de reinserção social do ex-dependente. Do contrário há poucas chances de se prosperar em um caminho livre das drogas”, esclarece o psicólogo

Marcus Klein garante que o sucesso de um protocolo terapêutico em um tratamento contra a dependência física é diretamente proporcional ao intercâmbio entre os diversos serviços necessários a manutenção de um ser humano em sociedade.

“No Credeq, por exemplo, estamos trabalhando com este horizonte, pois do contrário não adianta curar o corpo se o social, o psicológico, patrimonial e outros setores da vida estão desassistidos. Temos que atuar de modo holístico”, defende o supervisor multiprofissional da única instituição pública do país a tratar, em grau de excelência, a dependência química.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/psicologo-do-credeq-ministra-palestra/

set 23 2016

Credeq é visitado por gestores de política sobre drogas

image3

 

O Centro de Referência e Excelência em Dependência Química, Aparecida de Goiânia (Credeq – Prof. Jamil Issy), foi visitado nesta sexta-feira, 23 de setembro, pelo presidente do Fórum Brasileiro de Gestores de Política sobres Drogas. Cloves Benevides, que, também, é o secretário Executivo de Políticas de Prevenção à Violência do Estado de Alagoas.

A visita técnica foi acompanhada pela diretora geral do Grupo Executivo de Enfrentamento às Drogas (Geed), Ivânia Fernandes, a assessora do Conselho Estadual de Políticas sobre Drogas Marineusa Almeida Melo, e pela gente técnica operacional do Geed, Meire Incarnação. O grupo foi recepcionado pela superintendente executiva do Credeq, Salete Maria de Sousa Reis e o diretor geral da instituição, Cleison Rodrigues da Silva.

Benevides conheceu as instalações da unidade da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES) e ficou conhecendo o protocolo terapêutico do Credeq. Visivelmente satisfeito com as características do espaço, o dirigente nacional de Política sobres Drogas, garantiu que o projeto Credeq é o aprimoramento científico e arquitetônico das Comunidades Terapêuticas. Para tanto, ele pretende reunir os dirigentes nacionais do setor para apresentar o projeto terapêutico custeado pelo tesouro goiano.

Cloves Benevides está em Goiânia participando do IV Congresso Redentorista de Prevenção às Drogas, que será encerrado no sábado, dia 24 do corrente mês, em Trindade com parceria do Geed, e tem por tema A Importância da Reinserção Social.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/credeq-e-visitado-por-gestores-de-politica-sobre-drogas/

set 22 2016

Credeq visita o HGG

Uma comitiva do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) Prof. Jamil Issy, em Aparecida de Goiânia, visitou o Hospital Alberto Rassi (HGG), na manhã da última sexta-feira, dia 16 de setembro,

Imagem produzida pela Assessoria de Imprensa do Idetech

com o objetivo em conhecer as melhores práticas implementadas (benchmarking) pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico e Humano (Idtech) no hospital.

A equipe visitante, composta por profissionais que atuam nas áreas de Planejamento, Qualidade e Tecnologia da Informação do Credeq – Prof. Jamil Issy, foi recepcionada pela assessora de planejamento do Idtech, Tatiane Lemos, coordenadora do núcleo de planejamento e controle da qualidade do HGG, Robertta Francyelle; pelo assessor de Tecnologia da Informação, Adonai Andrade entre outros profissionais que atuam nas áreas visitadas.

Durante a visita, os profissionais conheceram as Comissões Hospitalares, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica, a Gestão da Qualidade, áreas da enfermagem e Tecnologia da Informação. (material produzido com a assessoria de imprensa do Idtech. A imagem é do Idetech).

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/credeq-visita-o-hgg/

set 15 2016

Encerrado tratamento odontológico em pacientes do Credeq

Consultório Odontológico - externo

Durante 16 dias,realizou-se obturações, restaurações e limpezas dos dentes. Os serviços especializados foram
encaminhados à Rede de Saúde Bucal de Aparecida de Goiânia 

 

 

 

 

 

 

O Projeto Saúde Bucal de Aparecida de Goiânia, vinculada à Secretaria Municipal da Saúde, conseguiu atender a todos os pacientes do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq), em Aparecida de Goiânia. A ação, que era para acontecer em uma semana, acabou por se estender até hoje, quinta-feira, 15 de setembro, considerando o volume de serviços relacionados durante a triagem.

Os pacientes, desta unidade de excelência e referência no tratamento da dependência química da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES), receberam tratamento odontológico preventivo e restaurador. O trailer do consultório odontológico, que contou com uma cirurgiã-dentista e uma atendente, permaneceu estacionado no Pátio de Admissões do Credeq por exatos 16 dias.

Durante o período, realizou-se obturação, restauração e limpeza. Considerando a minuciosa triagem realizada, encaminhou-se para a rede de saúde bucal 20 pacientes, todos com data, local de referência e tipo de tratamento especializado necessário. Entre as terapias estão radiografia e periodontia.

O serviço odontológico não integra o protocolo terapêutico do Credeq, onde são tratados casos severos de dependência química, encaminhados pela Rede de Atenção Psicossocial (Raps). A ação pontual, contudo, foi viabilizada pela direção como forma de atenuar um dos mais visíveis e dolorosos efeitos colaterais da dependência química. O consultório dentário faz parte do Projeto Sorria com Saúde, criado em 2009 e que reúne 59 dentistas, sete consultórios móveis e 20 consultórios fixos.

 

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/encerrado-tratamento-odontologico-em-pacientes-do-credeq/

set 12 2016

Credeq arrecada brinquedo para doar à criançada

Iniciativa é presentear, tanto os filhos dos pacientes no Dia da Criança, quanto as crianças carentes de uma entidade ainda a ser escolhida 

 

cartaz-da-campanha

O Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq) deflagra a campanha Faça uma criança feliz, com o propósito de recolher brinquedos, que serão entregues aos filhos dos pacientes que se encontram na instituição, em função do Dia das Crianças, em 12 de Outubro, quando, também, se celebra a Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Conceição Aparecida.

A campanha, organizada pelo setor de RH da unidade, que é ligada à Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES), também intenciona doar parte dos brinquedos recebidos para uma entidade que atenda crianças carentes. Essa organização ainda não foi escolhida.

A entrega dos donativos pode ser feita até o próximo dia 7 de outubro, na recepção administrativa do Credeq – Prof. Jamil Issy. No dia seguinte, sábado (8), quando acontece a visita semanal da família aos pacientes, ocorrerá a grande festa.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/credeq-arrecada-brinquedo-para-doar-a-criancada/

set 12 2016

Colaboradores do Credeq elegem nova CIPA

O grupo, que é composto por quatro efetivos e três suplentes, terá mandato de um ano

 

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Cipa/Credeq) tem novos membros, eleitos no último pleito, ocorrido entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro. Dos 15 candidatos, sete obtiveram o maior quantitativo de votos (53). Desse total, qlogomarcauatro serão efetivos e três suplentes. A vice-presidência será ocupada por Rosalino Ferreira da Silva (13 votos). O comando da Cipa será indicado pela instituição de saúde.

 

Entre os eleitos estão, também, Cleydson Carlos de Lima (10), Diego Silva Nascimento (9), Carlos Henrique de Alvarenga Paranhos (8), Donadony Peixoto de Alcântara Cunha (5), Igor Bezerra Cardoso (4) e Cássia Katherine Rodrigues Nogueira (4). Os três últimos atuarão como suplentes. O mandato da nova comissão terá duração de um ano.

O objetivo da Cipa é preservar a saúde e a integridade física dos trabalhadores e de todos os que interagem com a empresa (aqueles que prestam serviço para a empresa). Cabe à CIPA investigar os acidentes e promover e divulgar o zelo pela observância das normas de segurança, bem como a promoção da Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT).

Aos trabalhadores da empresa compete indicar à CIPA situações de risco, apresentar sugestões e observar as recomendações quanto à prevenção de acidentes, utilizando os equipamentos de proteção individual (EPIs) e de proteção coletiva fornecidos pelo empregador, bem como submeter-se a exames médicos previstos em Normas Regulamentadoras, quando aplicável.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/colaboradores-do-credeq-elegem-nova-cipa/

set 08 2016

AGR inspeciona Credeq a partir de 3ª

A Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR) inicia, na próxima terça-feira, 13 de setembro, a sua fiscalização do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq). O trabalho terá por foco o usuário da instituição, ou seja, o dependente químico, que apresenta grau de severidade.

publicar

O Credeq – Prof. Jamil Issy é o único espaço terapêutico público brasileiro que realiza tratamento para dependente químico. A agência, por sua vez, é responsável por regular, controlar e fiscalizar a atuação da Organização Social Comunidade Luz da Vida, responsável pela gestão do Credeq – Prof. Jamil Issy.

O plano de fiscalização da AGR foi apresentado na manhã de hoje, quinta-feira, 8 de setembro, à diretoria do Credeq – Prof. Jamil Issy, uma unidade da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES).

Estiveram presentes ao encontro, os representantes da estatal goiana – engenheiro civil Glenn Oliveira Canedo e o gestor de fiscalização Tibério Limaverde Villar – e os dirigentes da instituição de saúde – Cleison Rodrigues (diretor geral), Salete Maria de Sousa (diretora administrativa e financeira) e Leonardo Ornelas (assessor jurídico).

De acordo com o diretor Rodrigues, o Credeq não está apenas preparado, como, também, aberto ao supervisionamento. Ele adianta que a verificação se dará à ótica do usuário dos serviços, com o propósito de checar a eficácia operacional do prestador. Em outras palavras, a AGR vai verificar se há ou não qualidade da prestação dos serviços.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/agr-inspeciona-credeq-a-partir-de-3a/

set 06 2016

Senai faz palestra sobre construção civil no Credeq

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), por meio da sua Escola em Aparecida de Goiânia, a Dr. Celso Charuri, realizou palestra sobre a Construção Civil aos pacientes do Centro de Referência e Excelência em Dependência Química – Prof. Jamil Issy (Credeq), na tarde desta terça-feira (6).

publicar

O tema foi apresentado pelo instrutor Ibamar Pinto Santana, com apoio do coordenador técnico de cursos da instituição Glauber Rodrigues e da analista de Educação Héllen Fernanda. O evento foi uma parceria entre o Senai e o Credeq – Prof. Jamil Issy, uma unidade da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES).

A escolha do conteúdo intencionou apresentar o leque de opções de qualificação e atualização disponíveis no mercado, com a finalidade de realizar a reinserção ao trabalho de modo mais competitivo, uma vez que a maioria do público da palestra é formada por desempregados.

Na oportunidade, o palestrante apresentou os diversos cursos disponibilizados pelo Senai, em especial os ministrados pela Escola Dr. Celso Charuri, como Informática, Construção Civil, Soldagem, Manutenção Industrial e Eletroeletrônica/Metalmecânica.

 Capacitação

A Construção Civil é um dos setores mais dinâmicos do país e o trabalho na área exige treinamento e qualificação para suprir as necessidades do mercado. Atualmente, a indústria do setor utiliza uma ampla gama de equipamentos e tecnologias, do início ao fim de uma obra.

Senai

O Senai tem o maior complexo de educação profissional e tecnologia industrial do Estado e, através de sua infraestrutura, está preparado para atender às necessidades da comunidade industrial. São mais de 70 anos acompanhando as necessidades de modernização e inovação da indústria.

Link permanente para este artigo: http://credeq-go.org.br/senai-faz-palestra-sobre-construcao-civil-no-credeq/

Load more